Arquivo de julho \30\UTC 2010

ruidos, samples e um cigarro!

Olá, bem vindos a nossa Sexta Feira, Graças aos Deuses!

Hoje, depois de semanas sem PC, volto com toda a serenidade de quem teve que lutar duas semanas com o Pc pra que ele voltasse a funciona0r. E o que me ajudou a relaxar e não jogá-lo pela janela?  a nossa banda de hoje, Portishead!

A banda britânica de trip hop foi formada em Bristol em 1991, quando Geoff Barrow, Beth Gibbons e Adrian Utley se encontraram em uma fila de desempregados. Anteriormente, Barrow havia trabalhado com artistas como Massive Attack e Tricky, Gibbons cantava em pubs e Utley tocava guitarra com artistas de jazz como Big John Patton e The Jazz Messengers. O trio criou o curta To Kill a Dead Man, inspirado em filmes de espionagem, e sua trilha sonora persuadiu a Go! Beat Records a assinar com a banda.

Entre compactos, eps e outros, 3 albuns são de estudio:

  • Dummy (1994)
  • Portishead (1997)
  • Third (2008)
  •  

    Sabe, eu sempre ouvi falar muito de portishead, por alguns amigos e por alguns dos meus ídolos, mas quando era mais novo tipo, quando estava com 14 ou 15 anos ouvi uma música chamada Mysterons, e meu, tava saindo do grunge do pearl jam, de silverchair, pro metal do Ozzy, do Marilyn manson, ou seja, tava na fase mais pirada de um adolescente (não que eu tenha saido dessa fase, mas to melhor agora ^_^). Quando ouvi os primeiros acordes achei um saco e nunca mais quis ouvir denovo… Pois bem… Eis q a um ano e meio mais ou menos ouvi essa música denovo por acaso e a achei muuuuiiiito Foda. Foi uma viagen incrível de sons confusos, melodia e uma voz doce e misteriosa. 

    E esse é o portished, uma viagem diferente a cada música. Uma mistura de samples, com instrumentos, com vozes, com ruidos e vários outros elementos que formam toda uma atmosfera lúdica, misteriosa e absurdamente real.  As musicas são uma mistura de confissão, de desabafo, de provocação.  A cada melodia uma história se forma, me lembra um bom livro ou alguém sozinha em um apartamento no centro de São Paulo, na janela tomando um café ou fumando e olhando as luzes distantes.

    É o tipo de banda q você coloca pra rodar quando quer fazer nada, quando quer ficar a sós consigo mesmo pensando, ou fazendo algo q gosta muito.

    Vc pode estranhar de primeira, por ser um som diferente, mas vale a pena dar uma chance e prestar atenção no som dos caras. Tenha suas próprias sensações, experimente!

    Mysterons – Apresentação ao vivo (resultante no albun ao vivo roseland live NYC)

    Ministério da saúde adverte: fumar causa mal hálito 😉

    Wandering stars – Do albun Dummy (o mesmo de mysterons, baixem esse som, é legal)

    Utilidade ao público
    Site oficial
    Mysapece oficial

    Enjoy!!!
    Té mais!


    @RohThomas

    Grunge is Dead… Parte Final

    Peço a todos desculpa pela minha ausência nas últimas semanas, mudanças radicais aconteceram e eu ainda to no meio de uma reorganização pessoal, nas idéias, objetivos, etc, etc e etc…

    Enfim, vamos voltar ao que interessa! Música… Nosso blog anda meio parado, mas prometo que ele vai voltar a crescer!

    Pra encerrar o assunto pra poder abordar outros, vou finalizar o “Grunge is Dead” com a banda que foi uma grande influência musical pra muita gente. Principalmente pra mim, foi a banda que abriu meus ouvidos pro Rock e me fez amar música.

    Nasce em 1986 em Aberdeen (Washington), quando Kurt Cobain juntou-se com seu amigo Chris Novoselic e após muitas trocas Chad Channing assume a bateria de forma “definitiva”.
    Em 1989 a banda lança seu primeiro disco “Bleach” e a banda consegue fazer suas primeiras turnês pelos EUA, conhecendo um baterista de outra banda que se chamava Dave Grohl, que após alguns meses é chamado para fazer um teste para o disco novo que estava entrando nos planos para ser gravado. Dave então passa com louvor no teste, gerando comentários de Kurt pra Chris de que haviam achado “o melhor baterista do mundo”.

    1991! A banda entra em estúdio e grava o disco que mudaria o mundo do Rock. “Nevermind” com a banda explodindo nas paradas com o single “Smells Like Teen Spirit” tocada à exaustão em várias rádios, na MTV. A banda sai em inúmeras revistas, são convidados para muitas entrevistas. Depois de um mês de lançamento o disco alcança 500 mil vendas desbancando grandes artistas como Michael Jackson.

    O sucesso vem rápido de mais e Kurt não sabe lidar muito bem com o assédio, começa a ter seus primeiros problemas com drogas, se internando em uma clínica de reabilitação para se livrar do vício em heroína.

    Durante o ano de 1992 a banda lança “Incesticide” (um dos melhores na minha opinião) para suprir a falta de um disco de inéditas.

    Em 1993 a banda lança “In Utero que acaba decepcionando a muitos fãs por não ter o impacto que teve o Nevermind e os problemas de Kurt Cobain com as drogas faz com que a justiça se envolva, fazendo com que ele e sua esposa Courtney Love corram o risco de perder a guarda de sua filha Frances Bean Cobain. Em maio Kurt sofre uma overdose em sua casa, Kurt só não chegou ao óbito nessa oportunidade por que Courtney Love interfere e aplica uma medicação de emergência.

    Ainda em 1993 a banda é convidada para estrelar o Unplugged, Kurt Cobain decide que a decoração do ambiente deveria ter velas e flores, como um velório. Destaque pessoal para a canção “Where Did You Sleep Last Night?” última canção do show, em que Kurt dá um grito incrívelmente estranho.

    Em 1994 Kurt começa a ser notavelmente visto como cansado, estafado pelas turnês, começa a cancelar shows e então viaja para Roma para se encontrar com Courtney e sua filha. O casal passou várias semanas sem se ver. As expectativas de Kurt pelo reencontro levam um banho de água gelada quando Courtney diz que está exausta e quer dormir. Quando acorda na manhã do dia 4, Kurt está no chão, com o nariz sangrando. Ele havia tomado champanhe e cerca de 50 pílulas do tranqüilizante Rohypnol. Kurt deixa uma carta de despedida com três folhas, caracterizando a tentativa de suicídio. Mas, oficialmente, o fato é divulgado como uma dose excessiva e acidental de medicamentos.

    Kurt volta para Seattle, e após uma reunião seus amigos, para fazer com que Kurt largue as drogas, mas o cantor reage dizendo que não tem amigos e desaparece por dias, perambulando pela cidade se drogando na casa de amigos. Mas mesmo assim Kurt se interna na clínica Exodus, fugindo após alguns dias escalando o muro. Sem ninguém saber de seu paradeiro Kurt compra uma arma de seu amigo Dylan Carlson, e segundo o estudo legista Kurt tira sua vida em 5 de Abril de 1994, com um tiro na cabeça vindo da arma que comprou de seu amigo.

    Kurt é encontrado dia 8 de Abril no sótão de sua casa por um eletricista que faria reparos em sua casa. Naquele momento Kurt Cobain, 27 anos, já cultuado em vida, tornou-se mito. Um bilhete de adeus, mais curto que o escrito em Roma um mês antes, é encontrado ao lado do cadáver, e marca o fim de uma vida talentosa – porém problemática – como marca o desfecho de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos.

    E pra relembrar, a melhor versão dessa música!

    @rafa_castillo

    Aumente Seu Volume #7

    Olá a todos.  Desculpe-nos pela falta da Playlist no fim de semana passado. Falta de tempo deste que lhes escreve.

    Pra compensar temos uma Playlist muito boa (como todas as outras (humildade zero!)).
    Boa semana a todos!

    Audioslave – Dandelion
    Bush – Greedy Fly
    Chronic Future – Time And Time Again
    Maybeshewill – Not For Want Of Trying
    Nine Inch Nails – Head Down
    O Rappa – O Que Sobrou Do Céu
    Oasis – Morning Glory
    Radiohead – Reckoner
    Snow Patrol – It’s Beggining To Get Me
    The Buzzcocks – Sitting Round At Home
    The Clash – Death or Glory
    The Opressed – Ultra Violence

    Clique aqui para pegar!

    @breaktheamps

    Preparem suas câmeras

    Olá a todos…

    Hoje nesta quinta feira com um sol bacana aqui em São Paulo, venho dar um alerta a todos os leitores do nosso blog, que ultimamente anda desatualizado, mas irei fazer o possível para ajudar movimenta-lo mais.

    Não sei se reparam na logo do youtube, que está com um simbolo ao lado, um planeta na verdade, que hoje traz o número dois em seu corpo, além de estar linkado em uma outra página. Para os desatentos, que nem sequer clicaram no link do youtube, nem nos pequenos links da home do Google, venho comentar de um projeto cinematográfico um pouco revolucionário hehe.
    Leia mais

    A Rua e os Cães

    No final dos anos 90, muita gente que assistia MTV se perguntava de quem era aquela música que tocava poucos segundos numa vinheta que apareciam um cara e umas minas andando de skate!

    A música com claras influências de Descedents e Dag Nasty, mesmo só com alguns segundos, mostrava um grande potencial.

    A resposta era: Street Bulldogs.

    Street Bulldogs
    Leia mais

    “Die Religion… Sie ist das Opium des Volkes”

    Crossbuster

    “A Religião… Ela é o Ópio dos Povos”
    Carregando como logo uma cruz emoldurada com o sinal de “proibido” e um nome interpretativo, Bad Religion (Religião Má, Religião é Má, entre outros) até hoje causa um certo desconforto para algumas pessoas.

    Formado em Los Angeles, Califórnia, em 1979, por Greg Graffin (vocal), Jay Bentley (baixo), Jay Ziskrout (bateria) e Brett Gurewitz (guitarra), quando ainda estavam no ensino médio, sob a influências das primeiras bandas de punk rock, tais como Ramones, Black Flag e The Clash. Fora da movimento punk, suas influências também incluem Beach Boys, Elvis Costello, Todd Rundgren, The Jam e Nick Lowe, e autores como Jack Kerouac.
    Leia mais

    Aumente seu Volume #6

    Está no ar a Playlist Break The Amps #6.

    Especial aos meus amigos do KK.

    Company of Thieves – Even in The Dark
    Dead Fish – Tão Iguais
    Doves – Sea Song
    Editors – Munich
    Jet – Everything Will Be Alright
    My Chemical Romance – Sleep
    Móveis Coloniais de Acajú – O Tempo
    Placebo – Bright Lights
    Silverchair – Untitled
    Superguidis – Aos Meus Amigos
    The Shore – When Tomorrow Comes

    Clique aqui para baixar.

    @rafa_castillo