A Rua e os Cães

No final dos anos 90, muita gente que assistia MTV se perguntava de quem era aquela música que tocava poucos segundos numa vinheta que apareciam um cara e umas minas andando de skate!

A música com claras influências de Descedents e Dag Nasty, mesmo só com alguns segundos, mostrava um grande potencial.

A resposta era: Street Bulldogs.

Street Bulldogs

As pessoas achavam que só existiam boas bandas de hardcore vindas da Capital, e só. Era um consenso isso. Também achavam que no interior só existia um certo público e poucas cidades com lugares para tocar, como o Tribo em Campinas e o Hitchcock em Sta. Bárbara do Oeste. Em meados de 1998, em meio a um turbilhão de bandas straightedge, punks e de hardcore melódico, surge uma banda vinda de Pindamonhangaba, mostrando que não é preciso ser de uma ceninha da Capital para fazer rock de verdade. Com uma mistura diferenciada de influências como Ramones, Dag Nasty, All, Descendents e Social Distortion, o Street Bulldogs chegou mostrando que SIM! Era possível fazer hardcore melódico com força de bandas de punk rock.
Com ótimos shows ao vivo e com grande organização, a banda começou logo a chamar atenção do público. Tocando com inúmeras bandas e em todos lugares possível. É verdade que no começo, acredito que pela dificuldades de ser uma banda de fora do eixo Rio-São Paulo, as coisas nunca foram fáceis. A banda chegou a gravar o 7″ ep “Screaming for Anarchy” em 1995, Leo, vocalista e na época baterista, resolveu dar um
tempo com a banda.
Léo

Já em 1998, uma reformulada versão do Street Bulldogs, voltou e lançou de cara o primeiro disco, 10 New Songs, pela Thirteen Records. O disco contava com a “famosa” música da vinheta da MTV “We build our own way”, e também trazia como bônus, as músicas do 7″ EP. Começaram então a fazer muitos shows, incluindo uma turnê com o Agnostic Front, com shows no Brasil e na Argentina.
Em 1999, a banda que já havia mudado de formação, grava dois splits, com a banda americana Turnedown e as meninas do Dominatrix. Antes de começarem as gravações do segundo disco, o SB se muda para São Paulo e, mais uma vez, muda de formação, Entra Guilherme (ex-Strada e Single Tree) no lugar do baterista Santiago. A formação ainda conta com Leo no vocal (o único membro original), Sonrisal na guitarra (“quase” um membro original), Drausio no baixo, e Cesinha (ex-Againe) na guitarra.

O segundo disco, “Question Your Truth”, é finalmente lançado (de forma independente) e conta com grandes partipações como Nekro do Fun People e Koala do Hateen. O disco coloca a banda em posição de destaque no cenário nacional.

Depois de inúmeros shows (inclusive uma apresentação em Manaus para mais de 5.000 pessoas!!!), a banda sofre nova mudança de formação, Cesinha deixa a banda para a entrada de Fabrizio (ex-Fist) e Zé se torna o baixista, no lugar de Dráusio.

Koala

Em 2002 a banda lança de cara o cd ao vivo “Faster, Louder and Alive”, novamente pela Thirteen records. Atualmente a banda conta com um currículo invejável, com inúmeras músicas em coletâneas e diversos shows com bandas como Shelter, Avail e Ratos de Porão. Ainda neste mês, mais uma mudança na formação, que reflete muito a dificuldade de uma banda se manter de forma independente no Brasil. Rodrigo “Koala” Sanchez (Hateen) assume a guitarra de Sonrisal. Mas o Street Bulldogs continua e, mesmo cantando em inglês, arrasta milhares de pessoas em seus shows.

@GutemHC

Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: