Archive for the ‘ inspiração ’ Category

Grunge is Dead… Parte Final

Peço a todos desculpa pela minha ausência nas últimas semanas, mudanças radicais aconteceram e eu ainda to no meio de uma reorganização pessoal, nas idéias, objetivos, etc, etc e etc…

Enfim, vamos voltar ao que interessa! Música… Nosso blog anda meio parado, mas prometo que ele vai voltar a crescer!

Pra encerrar o assunto pra poder abordar outros, vou finalizar o “Grunge is Dead” com a banda que foi uma grande influência musical pra muita gente. Principalmente pra mim, foi a banda que abriu meus ouvidos pro Rock e me fez amar música.

Nasce em 1986 em Aberdeen (Washington), quando Kurt Cobain juntou-se com seu amigo Chris Novoselic e após muitas trocas Chad Channing assume a bateria de forma “definitiva”.
Em 1989 a banda lança seu primeiro disco “Bleach” e a banda consegue fazer suas primeiras turnês pelos EUA, conhecendo um baterista de outra banda que se chamava Dave Grohl, que após alguns meses é chamado para fazer um teste para o disco novo que estava entrando nos planos para ser gravado. Dave então passa com louvor no teste, gerando comentários de Kurt pra Chris de que haviam achado “o melhor baterista do mundo”.

1991! A banda entra em estúdio e grava o disco que mudaria o mundo do Rock. “Nevermind” com a banda explodindo nas paradas com o single “Smells Like Teen Spirit” tocada à exaustão em várias rádios, na MTV. A banda sai em inúmeras revistas, são convidados para muitas entrevistas. Depois de um mês de lançamento o disco alcança 500 mil vendas desbancando grandes artistas como Michael Jackson.

O sucesso vem rápido de mais e Kurt não sabe lidar muito bem com o assédio, começa a ter seus primeiros problemas com drogas, se internando em uma clínica de reabilitação para se livrar do vício em heroína.

Durante o ano de 1992 a banda lança “Incesticide” (um dos melhores na minha opinião) para suprir a falta de um disco de inéditas.

Em 1993 a banda lança “In Utero que acaba decepcionando a muitos fãs por não ter o impacto que teve o Nevermind e os problemas de Kurt Cobain com as drogas faz com que a justiça se envolva, fazendo com que ele e sua esposa Courtney Love corram o risco de perder a guarda de sua filha Frances Bean Cobain. Em maio Kurt sofre uma overdose em sua casa, Kurt só não chegou ao óbito nessa oportunidade por que Courtney Love interfere e aplica uma medicação de emergência.

Ainda em 1993 a banda é convidada para estrelar o Unplugged, Kurt Cobain decide que a decoração do ambiente deveria ter velas e flores, como um velório. Destaque pessoal para a canção “Where Did You Sleep Last Night?” última canção do show, em que Kurt dá um grito incrívelmente estranho.

Em 1994 Kurt começa a ser notavelmente visto como cansado, estafado pelas turnês, começa a cancelar shows e então viaja para Roma para se encontrar com Courtney e sua filha. O casal passou várias semanas sem se ver. As expectativas de Kurt pelo reencontro levam um banho de água gelada quando Courtney diz que está exausta e quer dormir. Quando acorda na manhã do dia 4, Kurt está no chão, com o nariz sangrando. Ele havia tomado champanhe e cerca de 50 pílulas do tranqüilizante Rohypnol. Kurt deixa uma carta de despedida com três folhas, caracterizando a tentativa de suicídio. Mas, oficialmente, o fato é divulgado como uma dose excessiva e acidental de medicamentos.

Kurt volta para Seattle, e após uma reunião seus amigos, para fazer com que Kurt largue as drogas, mas o cantor reage dizendo que não tem amigos e desaparece por dias, perambulando pela cidade se drogando na casa de amigos. Mas mesmo assim Kurt se interna na clínica Exodus, fugindo após alguns dias escalando o muro. Sem ninguém saber de seu paradeiro Kurt compra uma arma de seu amigo Dylan Carlson, e segundo o estudo legista Kurt tira sua vida em 5 de Abril de 1994, com um tiro na cabeça vindo da arma que comprou de seu amigo.

Kurt é encontrado dia 8 de Abril no sótão de sua casa por um eletricista que faria reparos em sua casa. Naquele momento Kurt Cobain, 27 anos, já cultuado em vida, tornou-se mito. Um bilhete de adeus, mais curto que o escrito em Roma um mês antes, é encontrado ao lado do cadáver, e marca o fim de uma vida talentosa – porém problemática – como marca o desfecho de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos.

E pra relembrar, a melhor versão dessa música!

@rafa_castillo

Novidades por vir… Evanescence

Ahhh Não faz essa cara vai… vamos desmistificar essa coisa de má impressão e descobrir afinal, O que é o Evanescence!

Bom, é difícil falar da sua banda do coração, porque as vezes a imagem se distorce conforme a emoção que se sente. O Evanescence foi o primeiro contato que tive com uma mundo sem regras do Rock. Onde é possível que guitarras obscuras, riffs pesados e notas de piano façam parte da mesma história. Mostrando q o escuro e a luz vivem no mesmo espaço, portanto a alegria e a tristesa tbm habitam a mesma pessoa.

Esse é o Evanescence… Guitarras brutas, notas doces de piano. Riffs obscuros e canto angelical. Para quem curte o peso do Rock sem abrir mão da beleza que uma boa música proporciona!

Leia mais

Inspiradores

Olá a todos …
Hoje o post é dedicado a Pri, uma amiga minha que disse que iria olhar o blog todos os dias !!
Bom um belo dia estava sem nada pra fazer e decidi entrar no meu myspace, ( que a amiga priscila me ajudou a montar !! hehe.) para ouvir umas músicas novas, e como um estalo na mente pensei – o que será que está rolando de música alternativa na França ? – e na primeira colocação estava uma banda que nunca tinha ouvido falar.


Leia mais

Uma inspiração… Nine inch nails

É isso ai, vamos falar de inspiração… Como disse nosso amigo Wander, somos todos designers e acho que posso dizer por todos que  a música é uma das fontes de inspiração que mais ajuda. Uma boa música sempre te leva onde vc quer ir. Pois bem, essa é uma das bandas q está me inspirando muito ultimamente.

Não sei se isso acontece com vocês, mas sempre acontece comigo o fato de redescobrir bandas. Conheço o NIN faz uns 5 anos, mas nunca tinha parado pra baixar um Cd ou algo parecido, apenas ouvia as músicas que eu já conhecia ou algumas que eram mais populares. Até que em um dia totalmente em branco, quando vc num é capaz de fazer nem uma droga de macote como o da Dolly, decidi revirar meu arquivo de músicas e achei a All The Love In The Wolrd, um som totalmente indústrial com vários elementos e um vocal quase que sussurrado. Parei pra escultar todos os detalhes, pq esse é o tipo de som em q vc para pra descobrir cada detalhe q forma a música como um todo, e foi ai que viajei muito por vários lugares q ainda não tinha ido (tudo isso licitamente ok… rsrsrsrs).
Leia mais